Saúde mental: o que é e como cuidar?

De acordo com Organização Mundial da Saúde (OMS) saúde mental é: 

“Um estado de bem-estar em que um indivíduo percebe suas próprias habilidades, pode lidar com as tensões normais da vida, pode trabalhar de forma produtiva e é capaz de dar uma contribuição para sua comunidade.”

Assim, a OMS enfatiza que a saúde mental é mais do que apenas a ausência de transtornos mentais ou deficiências. O auge da saúde mental não é apenas evitar condições ativas, mas também cuidar do bem-estar e felicidade contínuos.

Desta forma, os médicos também enfatizam que preservar e restaurar a saúde mental é crucial, tanto individualmente, como em diferentes comunidades e culturas.

Por exemplo, no Brasil, estima-se que quase 1 em cada 5 adultos experimenta problemas de saúde mental a cada ano, de acordo com uma pesquisa da BBC Brasil. Ou seja, mais da metade dos brasileiros entrevistados declararam que sua saúde emocional e mental piorou nos últimos anos (além da crise da pandemia).

Fatores de risco para a saúde mental

Assim, todos correm o risco de desenvolver um transtorno mental, independentemente da idade, sexo, renda ou etnia.

No Brasil, como vimos, e em grande parte do mundo, os transtornos mentais são uma das principais causas de deficiência. Circunstâncias sociais e financeiras, fatores biológicos e escolhas de estilo de vida podem moldar a saúde mental de uma pessoa.

Desta forma, é importante observar que uma boa saúde mental depende de um delicado equilíbrio de fatores e que vários elementos da vida e do mundo externo podem trabalhar juntos para contribuir para os transtornos.

Determinantes da saúde mental

Como vimos, são vários os fatores sociais, psicológicos e biológicos que determinam o nível de saúde mental de uma pessoa. A saúde mental deficiente também está associada a mudanças sociais rápidas, condições estressantes de trabalho, discriminação de gênero, exclusão social, estilo de vida pouco saudável, problemas de saúde física e violações dos direitos individuais.

Existem fatores psicológicos e de personalidade específicos que tornam as pessoas vulneráveis ​​a problemas de saúde mental. Assim, os riscos biológicos incluem fatores genéticos.

Resumindo, os seguintes fatores podem contribuir para perturbações da saúde mental são:

  • Pressão social e econômica contínua
  • Ter recursos financeiros limitados
  • Pertencer a um grupo étnico marginalizado ou perseguido 
  • Escolher um modo de vida sedentário
  • Ter comorbidades

Fatores biológicos

O histórico familiar genético pode aumentar a probabilidade de problemas de saúde mental, pois certos genes e variantes colocam uma pessoa em maior risco.

No entanto, muitos outros fatores contribuem para o desenvolvimento desses transtornos. Por exemplo:

Ter um gene ligado a um transtorno de saúde mental, como depressão ou esquizofrenia, não garante que a doença se desenvolverá. Da mesma forma, pessoas sem genes relacionados ou histórico familiar de doença mental ainda podem ter problemas de saúde mental.

Fatores psicoemocionais 

Condições de saúde mental, como estresse, depressão e ansiedade, podem se desenvolver devido a problemas de saúde física subjacentes que mudam a vida, como câncer, diabetes e dor crônica.

Assim, entre os tipos de transtornos mais comuns de doença mental estão os seguintes:

  • Transtornos de ansiedade
  • TOC (Transtorno obsessivo-compulsivo)
  • Transtorno depressivo persistente ou distimia
  • Transtorno afetivo bipolar
  • TBP (Transtorno de personalidade borderline)
  • Síndrome do Pânico
  • Transtornos de humor
  • Transtorno explosivo intermitente
  • Fobias
  • Transtornos de esquizofrenia
  • Transtorno de estresse pós-traumático (PTSD)

Um surto de sintomas de ansiedade não precisa necessariamente de um gatilho específico em pessoas com certos transtornos. Na verdade, elas podem sentir ansiedade excessiva ao se depararem com situações cotidianas que não representam um perigo direto, como tarefas domésticas ou compromissos. 

E no caso de uma depressão grave, onde uma pessoa experimenta um constante baixo-astral e perde o interesse em atividades e eventos de que gostava antes, pode ter períodos prolongados de tristeza e melancolia.

Promoção e proteção da saúde mental

A promoção da saúde mental envolve ações que melhoram o bem-estar psicológico e psicoemocional. Isso pode envolver a criação de um ambiente certo que apoie a saúde mental.

Além disso, um ambiente que respeite e proteja os seus direitos, é fundamental para a saúde mental. Sem a segurança e a liberdade proporcionadas por essas garantias, é difícil manter um alto nível de saúde mental.

Algumas das maneiras específicas de promover a saúde mental incluem:

Intervenções na primeira infância

 Por exemplo, fornecer um ambiente estável que seja sensível às necessidades nutricionais e de saúde das crianças, com proteção contra ameaças, oportunidades de aprendizagem precoce e interações que são responsivas, emocionalmente favoráveis ​​e estimulantes do desenvolvimento.

Empoderamento socioeconômico das mulheres 

Com melhoria do acesso à educação e esquemas de apoio social à população feminina, em programas direcionados a vulnerabilidades, são formas de intervenções psicossociais importantes.

Intervenções de saúde mental no trabalho 

Programas de prevenção do estresse, políticas de prevenção da violência na redução de danos causados por drogas, oportunidades e atenção às pessoas com transtornos mentais.

Mulher com mão na cabeça devido muitas informações recebidas

Cuidados e tratamento de saúde mental

Como vimos acima, no contexto dos esforços para desenvolver e implementar a saúde mental, é vital não apenas proteger e promover o bem-estar mental das pessoas, mas também atender às necessidades de pessoas com seus transtornos diagnosticados.

Medicina Preventiva e as Práticas Integrativas Complementares

Na ciência, o conhecimento sobre o que fazer a respeito da carga crescente de transtornos mentais melhorou substancialmente na última década. Há um crescente corpo de evidências que demonstra a eficácia e a relação custo-benefício das principais intervenções para transtornos mentais prioritários. Neste caso, com a implementação da medicina preventiva no Sistema Único de Saúde (SUS), as Práticas Integrativas e Complementares (PICS) são mais uma ferramenta importante no combate e tratamento de doenças e transtornos.

Com isso, se evitam gastos desnecessários através de consultas e exames, longas filas de espera e uso indiscriminado de automedicação. Assim, o tratamento da depressão, ansiedade e estresse, por exemplo, podem ser feitos mediante intervenções psicológicas, preventivas e, claro, para casos moderados a graves, medicamentos antidepressivos.

E então? Você quer saber mais sobre saúde mental e como cuidar de sua qualidade de vida? Não deixe de ler nossos próximos artigos sobre outros temas da saúde mental! Em breve, assista às nossas lives e cursos!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Descubra o melhor que há em você