A Luta Antimanicomial continua!

O dia 18 de maio foi o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, mas o que é isso afinal?

É a luta pelos direitos das pessoas com sofrimento mental, e você sabia que de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) cerca de 450 milhões de pessoas sofrem com doenças mentais em todo o mundo?

Você sabia também que uma pesquisa recente mostrou que 85% dos brasileiros sofrem com algum transtorno mental, como ansiedade e depressão?

Foi este movimento da Luta Antimanicomial que trouxe consciência ao fato de que todas as pessoas com transtornos mentais têm o direito fundamental da Liberdade para viver em sociedade, além de receber cuidados e tratamentos com dignidade.

Quem iniciou o movimento foi Franco Basaglia, psiquiatra, que presenciou uma série de abusos em hospitais psiquiátricos, tirando o domínio da psiquiatria apenas para um tratamento mais humanizado, mas também percebeu que apenas humanizar esses lugares não seria suficiente.

Era necessário uma reforma no modelo de assistência psiquiátrica, e assim foi feita.

>>> Saiba mais sobre os benefícios do autoconhecimento na psicoterapia.

Com a frase “por uma sociedade sem manicômios”, muitos profissionais e outros segmentos da sociedade começaram a denunciar as graves violações aos direitos das pessoas com transtornos.

Em 1978 foi aprovada a lei da Reforma Italiana, na Itália, que seria um modelo para a reforma psiquiátrica no Brasil.

Torturas, fraudes e corrupção dentro dos manicômios começaram a ser combatidos, isso em uma greve que durou 8 meses em 1978.

Em 2001 é que surgiu o primeiro resultado da Luta, quando a Lei Nº 10.216, conhecida como a Lei da Reforma Psiquiátrica, foi ativada, garantindo a proteção dos direitos das pessoas com transtorno mental.

Mas a Luta por Direitos Humanos continua

Hoje não se trata de fechar os manicômios, mas de educar a população em relação aos preconceitos cometidos com quem possui transtornos mentais, como a Depressão, a Ansiedade e o Burnout.

Mas afinal, o que são transtornos mentais?

São consideradas condições de saúde que envolvem mudanças nas emoções, nos pensamentos ou nos comportamentos (ou uma combinação entre eles). São associados com estresse e problemas no funcionamento social, familiar ou profissional.

Entretanto, em sua maior parte são tratáveis e muitos indivíduos continuam a funcionar normalmente em suas atividades de vida diária.

Muitas pessoas com doenças mentais não gostam de falar sobre isso, mas não é nada para se ter vergonha! É uma condição médica, como diabetes ou problemas no coração. 

Pode afetar qualquer um, independente da raça, religião, orientação sexual, renda, ou qualquer outro aspecto. 

Algumas são leves, outras limitam severamente o funcionamento, e outras precisam de internamento hospitalar, mas você sabe como é realizado o diagnóstico?

Nem sempre é claro quando um problema com o humor ou pensamento se torna grave o suficiente para se tornar um problema sério de saúde mental, algumas vezes um humor depressivo pode ser normal, quando surge a partir de um luto de ente querido, por exemplo. 

Entretanto, se este humor continuar a causar disfunções ou alterar o funcionamento normal, a pessoa pode se beneficiar de um tratamento especializado.

Os sinais e sintomas podem variar, dependendo do transtorno, das circunstâncias e outros fatores, mas alguns exemplos de sintomas incluem:

  • Sentir-se triste ou pra baixo;
  • Pensamento confuso ou habilidade reduzida de concentração;
  • Medos e preocupações excessivas;
  • Sentimentos de culpa;
  • Mudanças de humor, os famosos “altos e baixos”;
  • Afastamento de amizades e atividades prazerosas;
  • Cansaço, energia baixa ou dificuldade para dormir;
  • Pensamentos de suicídio;

Algumas vezes problemas mentais podem aparecer como problemas físicos, como dor de barriga, dor nas costas, dores de cabeça, o outras dores inexplicáveis.

Quando devo ver um profissional?

Se você tem qualquer sintoma ou sinais de transtorno mental, é importante buscar ajuda, já que elas não melhoram por si só, e se não forem tratadas, podem agravar e causar sérios problemas.

Como vimos, a luta antimanicomial é uma luta contínua mesmo nos dias de hoje, e precisamos estar abertos para discutir os preconceitos e julgamentos que ainda existem em nossa sociedade.

É uma luta contínua, e nós do Instituto Bazzi estamos aqui por você.

Quer saber mais como você pode proteger sua mente de aflições como esta?

Acompanhe nossas redes sociais:

@Institutobazzi
#lutaantimanicomial #transtornomental ##autoestima #institutobazzi #drbazzi #saudemental #estresse

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quatro × cinco =

Descubra o melhor que há em você