Conheça o seu estresse: diferentes tipos de burnout

Quando falamos em burnout, geralmente estamos falando em burnout ocupacional.

Geralmente, este assunto é discutido em relação ao esgotamento da vida profissional. 

Normalmente, vemos isso em brasileiros cujas vidas giram em torno de trabalhar para viver.

E quanto a outros tipos de burnout e esgotamento?

Na verdade, existem três outros tipos de burnout que afetam especificamente o conjunto de doenças crônicas. 

Desta forma, esses três são: 

  1. Burnout ocupacional
  2. Doença crônica
  3. Tipo de esgotamento autista

Antes de entrarmos nos detalhes, é importante entender a diferença entre sentir-se exausto e sentir-se deprimido, certo? 

Burnout x Depressão

Burnout é o esgotamento da força, motivação física ou emocional, geralmente como resultado de estresse prolongado ou da frustração.

Já a depressão é definida por sentimentos de tristeza, perda de interesse na vida diária e desesperança. Além disso, algumas pessoas deprimidas também se sentem zangadas e irritadas. 

Esses sentimentos podem ser penetrantes em todas as áreas da vida. Assim, se você está sentindo estes pensamentos, comece a procurar um profissional da psicoterapia. 

Embora o burnout não seja uma condição clinicamente diagnosticável, a depressão é.

O burnout, às vezes, pode mascarar a depressão e, por isso, é importante conversar com algum profissional. 

Tipos de Burnout

Veja a seguir os tipos de burnout que existem:

Burnout ocupacional

O burnout ocupacional é um estado de exaustão emocional e física que deixa a pessoa incapaz de fazer frente às suas demandas em sua vida profissional.

Causas possíveis:

  • Estresse excessivo e prolongado
  • Fazer um trabalho que não é desafiador 
  • Sentir que não tem controle sobre seu trabalho
  • Assumir muitas responsabilidades
  • Falta de relacionamentos de trabalho de apoio

Sintomas

Entre os sintomas, estão:

  • Exaustão/fadiga
  • Distanciamento e despersonalização do trabalho
  • Sentir que todos os dias é um péssimo dia de trabalho
  • Sentir que as tarefas são um desperdício de energia
  • Doença frequente
  • Sensação de fracasso
  • Sensação de desamparo
  • Raiva
  • Retirando-se de responsabilidades
  • Faltando ao trabalho ou chegando tarde
  • Isolando-se
  • Procrastinar 

E quais são as estratégias que podem ser adotadas de forma individual? 

  • Tire férias
  • Encontre uma maneira de tornar o trabalho divertido e interessante
  • Fazer exercícios ou caminhadas
  • Ter uma dieta saudável
  • Faça uma pausa do álcool e da cafeína 
  • Encontre alguém para conversar com amigos, colegas de trabalho ou familiares
  • Faça meditação
  • Pratique o humor

Burnout de doença crônica

Trata-se de um estado de exaustão emocional, fisica e mental ao lidar com doenças crônicas ou com problemas médicos. Assim, esse tipo de esgotamento pode ser extremamente perigoso porque se a pessoa desistir ou parar de lutar, sua vida pode estar em risco.

Sintomas

  • Falta ou perda de motivação no tratamento de cuidados médicos
  • Desistência em relação aos médicos e profissionais da área médica

Causas

Gaslighting por médicos e profissionais médicos

Questionam sua validade 

Advogando constantemente para obter mais cuidados

Passar horas no telefone tentando conseguir compromissos e referências

Burnout de tipo autista 

Trata-se de um tipo de exaustão física, mental ou emocional intensa. Na verdade, o esgotamento autista também costuma ser acompanhado por uma perda de habilidade ou regressão. 

É devido ao acúmulo de anos tentando parecer normal e navegar em um mundo projetado para pessoas neurotípicas.

Sintomas

Perda de funcionamento e execução de tarefas

Parece “mais autista”

Dificuldade com o autocuidado

Incapacidade de mascarar ou usar habilidades sociais adequadas

Privação de sono

Vimos que certos traços desses tipos de burnout são semelhantes, além de outros transtornos como depressão e ansiedade, também podem contribuir para o esgotamento. 

Você pode agir para reduzir seu estresse estabelecendo melhores limites, gerenciando pensamentos negativos e aprendendo a falar abertamente sobre estas questões. 

O burnout é uma condição insidiosa. Acontece lentamente, por um longo período de tempo. Mas as consequências podem alterar a vida, por isso, é importante detectar os sinais o quanto antes.

Gostou deste tema? Acompanhe nossas postagens no blog e nas nossas redes sociais!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Descubra o melhor que há em você