Psicologia Positiva e Liderança

A psicologia positiva pode ter um efeito transformador no desempenho de sua empresa ou setor de trabalho, você sabia?

Na verdade, a psicologia positiva trata de abraçar os pontos fortes das pessoas, em vez de focar em suas partes mais frágeis.

Assim, ela baseia-se na premissa de que todas as pessoas desejam viver uma vida com propósito e realização, ou desejam dar o melhor de si e se esforçam pela felicidade em todos os aspectos de seu trabalho e vida pessoal.

Quando se aborda seu estilo de gestão a partir dessa perspectiva – quando se acredita no poder de seu próprio pessoal – isso pode ter um efeito transformador no desempenho de suas funções.

Aqui estão três maneiras pelas quais a psicologia positiva pode transformar a maneira como você lidera o seu desempenho pessoal.

Liderando com uma mentalidade de crescimento

Talvez uma das coisas mais transformadoras sobre a psicologia positiva do ponto de vista da liderança seja sua ênfase em ajudar as pessoas a desenvolverem seus pontos fortes.

Isso, em vez de focar ou puni-las por suas fraquezas. Afinal, as fraquezas são inerentes à condição humana – todos nós as temos. Porém, nossos pontos fortes muitas vezes podem superá-los, se devidamente aproveitados.

Por exemplo, uma pessoa com “código mental fixo” vê os talentos de outra como algo que ela tem ou não tem e não pode melhorar, então fica menos motivada a trabalhar duro para otimizar.

Por outro lado, uma pessoa com código mental construtivo, acredita que suas próprias habilidades ou aptidões – e as dos outros – podem ser aprimoradas com esforço.

Aquelas que acreditam que podem melhorar se continuarem tentando estão mais motivados a persistir nas tarefas difíceis porque acreditam que podem ter sucesso no final das contas.

Elas estão mais dispostas a tentar coisas novas porque, se falharem, podem simplesmente ajustar o curso e tentar novamente.

Em última análise, esse é o tipo de pensamento que pode desempenhar um papel maior em ajudar sua vida profissional a ter sucesso do que a aversão ao risco e o medo de cometer erros que impedem as pessoas de trazerem suas melhores ideias para a mesa.

Aqueles que acreditam que os outros podem melhorar também estão mais motivados a ajudá-los nesses esforços por meio de coaching e novas oportunidades.

Essa abordagem se encaixa perfeitamente com a abordagem de liderança positiva que a nossa equipe de profissionais defende ao impulsionar a inovação e a tomada de risco calculada e associada ao crescimento pessoal.

É por isso que liderar com uma mentalidade construtiva – ajudar as pessoas a superar os problemas em vez de evitá-los – pode transformar.

Alinhar objetivo pessoal e profissional

A cultura da sua vida profissional é o resultado do propósito que almeja, dos valores pelos quais é guiada e dos hábitos que dão vida a seu propósito, todos os dias.

Tudo isso depende de pessoas para fazê-los acontecer.

É por isso que é importante que os líderes saibam como o propósito da vida profissional se alinha ao de seu lado pessoal. Os líderes precisam saber o que move seu trabalho. O que os mantém engajados com o propósito da profissão?

Em parte, alinhar o propósito pessoal e organizacional significa entender como os dois aspectos se encaixam para cada pessoa.

Também é importante notar que, em muitas organizações com objetivos que se destacam por sua cultura, o processo de abrir mão das pessoas é uma parte importante do alinhamento do propósito com o do indivíduo.

Pode não parecer uma estratégia de gestão baseada na psicologia positiva à primeira vista.

No entanto, se você acredita que as pessoas ficam mais felizes quando fazem um trabalho significativo, então, depois que um funcionário recebe a oportunidade de melhorar, às vezes, abrir mão é, na verdade a coisa mais positiva que os líderes podem fazer.

Foco nos relacionamentos

Para muitos funcionários, os relacionamentos no local de trabalho – e especialmente os relacionamentos com gerentes e líderes – são um fator de motivação significativa em como eles se sentem sobre o trabalho que fazem. Infelizmente, muitos líderes subestimam a importância desses relacionamentos.

Um dos fatores mais desmotivadores para a maioria dos funcionários, são as raras conversas com seus líderes. Isso faz sentido, porque se o único momento em que um colaborador ouve os líderes for durante uma avaliação de desempenho – mesmo que os resultados dessa avaliação sejam positivos – leva à sensação de que seu trabalho não tem valor.

Quem está do seu lado busca mais do que um tapinha nas costas ou “continue com o bom trabalho”. E se eles estão lutando, eles precisam de mais do que uma advertência.

Gerenciar a partir de uma perspectiva de psicologia positiva requer que os líderes adotem uma abordagem mais prática para desenvolver seu lado pessoal e ajudá-los a encontrar significado no trabalho que realizam.

Todas as pessoas querem se sentir valorizadas – não apenas por seu trabalho, mas como indivíduos. A presença ou ausência desse sentimento de ser valorizado impacta o modo como eles se sentem sobre a organização e seu papel nela.

Os sentimentos de um colaborador sobre seu trabalho – medidos como engajamento – têm um impacto direto em seu desempenho.

Esses princípios de psicologia positiva – desenvolver seu lado pessoal, alinhá-lo com o propósito da organização e focar nos relacionamentos em vez de nas reclamações – estão transformando a forma como os líderes interagem com suas equipes.

Eles não estão apenas ajudando a impulsionar resultados de negócios mais sólidos, mas também em locais de trabalho mais felizes e produtivos.

Aproveite e curta a nossa rede social, e aguarde nossa maratona especial sobre performance e liderança positiva!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 7 =

Descubra o melhor que há em você