Prevenção é o melhor remédio: Fatores de risco do câncer

Um fator de risco é qualquer coisa que aumenta a chance de uma pessoa desenvolver câncer. Embora os fatores de risco frequentemente influenciem o desenvolvimento do câncer, a maioria não causa o câncer diretamente. 

No entanto, algumas pessoas com vários fatores de risco nunca desenvolvem câncer, enquanto outras, sem nenhum fator de risco conhecido, o fazem. 

Portanto, conhecer seus fatores de risco e conversar sobre eles com seu médico pode ajudá-lo a fazer escolhas mais informadas sobre estilo de vida e cuidados com a saúde.

Câncer de mama

A maioria dos cânceres de mama é esporádica, o que significa que se desenvolve a partir de danos aos genes de uma pessoa que ocorrem por acaso após o nascimento. Não há risco de a pessoa transmitir esse gene para seus filhos, pois a causa subjacente do câncer de mama esporádico são fatores ambientais.

Os cânceres de mama hereditários são menos comuns, constituindo de 5% a 10% dos cânceres. Além disso, o câncer de mama hereditário ocorre quando mudanças genéticas chamadas mutações são transmitidas de pais para filhos em uma família. 

Muitas dessas mutações estão em genes supressores de tumores eles normalmente impedem que as células cresçam fora de controle e se transformem em câncer. Mas quando essas células têm uma mutação, isso pode fazer com que cresçam fora de controle.

Ao considerar o risco de câncer de mama, é importante lembrar que a grande maioria das mulheres que desenvolvem câncer de mama não tem fatores de risco óbvios e nenhum histórico familiar de câncer de mama. 

Assim, vários fatores de risco influenciam o desenvolvimento do câncer de mama. Isso significa que todas as mulheres precisam estar cientes das mudanças em seus seios. Elas também precisam conversar com seu médico sobre como fazer exames regulares das mamas por um médico, bem como mamografias. 

>>> A mamografia é uma radiografia da mama que geralmente pode detectar um tumor pequeno demais para ser sentido.

Os seguintes fatores podem aumentar o risco de uma mulher desenvolver câncer de mama:

Idade

O risco de desenvolver câncer de mama aumenta à medida que a mulher envelhece, com a maioria dos cânceres se desenvolvendo em mulheres com mais de 50 anos.

História pessoal de câncer de mama

Uma mulher que teve câncer de mama em uma das mamas tem maior risco de desenvolver um novo câncer em uma das mamas.

História familiar de câncer de mama

O câncer de mama pode ser familiar em qualquer uma das seguintes situações:

  • ou mais mulheres são diagnosticadas com câncer de mama aos 45 anos ou menos
  • ou mais mulheres são diagnosticadas com câncer de mama antes dos 50 anos com uma história familiar adicional de câncer, como câncer de ovário, câncer de próstata metastático e câncer de pâncreas

Assim, é importante falar com seu médico se sua família já passou por alguma das situações acima. 

Além disso, ao examinar a história da família, também é importante levar em consideração o lado paterno da família. O lado paterno é tão importante quanto o lado materno para determinar o risco pessoal de desenvolver câncer de mama.

Risco herdado

Existem vários genes herdados ligados a um risco aumentado de câncer de mama, assim como outros tipos de câncer. 

Outras mutações genéticas ou condições hereditárias podem aumentar o risco de câncer de mama em uma pessoa. Eles são muito menos comuns e eles não aumentam tanto o risco de câncer de mama. Alguns desses genes e síndromes são:

  • Síndrome de Lynch
  • Síndrome de Cowden
  • Síndrome de Li-Fraumeni
  • Síndrome de Peutz-Jeghers
  • Ataxia telangiectasia
  • Câncer gástrico difuso hereditário
  • Gene PALB2
  • Gene CHEK2

Existem também outros genes que podem causar um aumento do risco de câncer de mama. Mais pesquisas são necessárias para entender como eles aumentam o risco de uma pessoa. 

Momento da gravidez

Mulheres que tiveram sua primeira gravidez após os 35 anos ou que nunca tiveram uma gravidez a termo têm maior risco de câncer de mama. A gravidez pode ajudar a proteger contra o câncer de mama, pois empurra as células da mama para a fase final de maturação.

Terapia de reposição hormonal após a menopausa

O uso de terapia hormonal com estrogênio e progesterona após a menopausa, freqüentemente chamada de terapia hormonal pós-menopausa ou terapia de reposição hormonal, nos últimos 5 anos ou por vários anos aumenta o risco de câncer de mama em uma mulher. Na verdade, o número de novos cânceres de mama diagnosticados caiu substancialmente, pois menos mulheres estão recebendo terapia hormonal na pós-menopausa. No entanto, mulheres que tomaram apenas estrogênio, sem receber progesterona anteriormente, por até 5 anos (porque tiveram seu útero removido por outros motivos) parecem ter um risco ligeiramente menor de câncer de mama.

Contraceptivos orais ou pílulas anticoncepcionais

Alguns estudos sugerem que os anticoncepcionais orais para prevenir a gravidez aumentam ligeiramente o risco de câncer de mama, enquanto outros não mostraram nenhuma ligação entre o uso de anticoncepcionais orais e o desenvolvimento de câncer de mama. A pesquisa sobre este tópico está em andamento.

Fatores de estilo de vida

Tal como acontece com outros tipos de câncer, os estudos continuam a mostrar que vários fatores de estilo de vida podem contribuir para o desenvolvimento do câncer de mama.

Peso = estudos recentes demonstraram que mulheres na pós-menopausa com sobrepeso ou obesas têm um risco aumentado de câncer de mama. Essas mulheres também têm um risco maior de o câncer voltar após o tratamento.

Atividade física = menor quantidade de atividade física está associada a um risco aumentado de desenvolver câncer de mama e a um risco maior de o câncer voltar após o tratamento. A atividade física regular, como 3 a 4 horas de exercícios moderados por semana, pode proteger contra o câncer de mama, ajudando as mulheres a manter um peso corporal saudável, reduzindo os níveis de hormônio ou causando alterações no metabolismo da mulher ou nos fatores imunológicos, como o aumento de “natural killer “células para combater as células anormais. Manter um peso corporal saudável também pode proteger contra o retorno do câncer após o diagnóstico de câncer de mama.

Álcool = tomar mais de 1 a 2 porções de álcool, incluindo cerveja, vinho e destilados, por dia aumenta o risco de câncer de mama, bem como o risco de o câncer voltar após o tratamento. Recomenda-se limitar a ingestão de álcool a 3 a 4 porções por semana.

Comida = não há pesquisa confiável que confirme que comer ou evitar alimentos específicos aumenta o risco de desenvolver câncer de mama ou de ter o câncer reaparecido após o tratamento. No entanto, comer mais frutas e vegetais e menos gorduras animais está relacionado a muitos benefícios à saúde.

Compreender o seu risco de câncer de mama

Várias ferramentas de avaliação de risco de câncer de mama foram desenvolvidas para ajudar uma mulher a estimar sua chance de desenvolver câncer de mama. 

É importante conversar com seu médico sobre como estimar seu risco pessoal de câncer de mama e discutir as opções de redução de risco ou prevenção.

Uma forma de diminuir o risco de câncer de mama é praticar atividade física regularmente. 

Mais ou menos 30 a 60 minutos por dia de atividade física de moderada a alta intensidade está associado a um menor risco de câncer de mama. 

Além disso, a amamentação também pode reduzir o risco de câncer de mama na mulher. 

Também problemas crônicos de saúde mental geralmente surgem na idade adulta jovem, quando os adultos começam a desenvolver comportamentos de saúde para o resto da vida e a ter acesso a serviços de saúde preventivos. 

Na verdade, muitos jovens adultos são capazes de enfrentar esses desafios e prosperar, mas alguns se encontram sem os recursos intrapessoais ou interpessoais para navegar com sucesso nessas transições de vida. 

>>> Problemas de saúde mental crônicos e às vezes debilitantes, incluindo depressão e ansiedade, frequentemente surgem na idade adulta.

Além disso, adultos com problemas de saúde mental têm uma maior propensão para transtornos de abuso de substâncias coexistentes, como tabagismo, baixa adesão à atividade física recomendada e orientações nutricionais em comparação com adultos sem problemas de saúde mental. 

E então? Está pronto para começar a prevenir-se de forma correta?

Não deixe para depois! Continue lendo nossos conteúdos semanalmente sobre saúde mental na nossa maratona!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Descubra o melhor que há em você