2017: 365 dias de amor e prosperidade

Mais um ano se passou e recebi muitas mensagens desejando Boas Festas. Também recebi depoimentos e inúmeras manifestações de agradecimento aos quais decidi responder de forma coletiva através desta mensagem.

Sou muito grato a vocês pelo privilégio de podermos trilhar juntos por estes caminhos de grandes desafios que foi o ano de 2016.

gratidao

Decidi reler o que escrevi e publiquei nos meios de comunicação do Instituto Bazzi nesta época no ano passado e me surpreendi muito. Caso você não tenha lido ou queira se inteirar segue o link para entender melhor a minha surpresa: http://institutobazzi.com/que-venha-2016-que-possamos-escrever-uma-historia-maravilhosa/

O texto do ano passado citei uma metáfora, na qual propus dar de presente a mim mesmo um livro com páginas em branco e, também sugeri que cada um dos leitores escrevesse a sua própria história durante a jornada de 2016.

A minha surpresa foi perceber tanta realização, movimentação, cooperação e  prosperidade alcançados superando os desafios, que foram inúmeros e enormes, durante este ciclo que está se encerrando.

Por isso tenho muito a AGRADECER!

Recebi tantos agradecimentos pelas mídias sociais! Tantas mensagens, imagens e vídeos maravilhosos. Refletindo sobre cada uma delas, fiz alguns recortes, dentre os quais escolhi alguns que vou postar ao longo desta mensagem,  agradecendo assim e retribuindo ao seu carinho e transmitindo meus votos e desejando um novo ANO maravilhoso para você…

O LAÇO E O ABRAÇO

Mário Quintana

Meu Deus! Como é engraçado!

Eu nunca tinha reparado como é curioso um laço… uma fita dando voltas. Enrosca-se, mas não se embola, vira, revira, circula e pronto: está dado o laço. É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de braço. É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido, em qualquer coisa onde o faço. E quando puxo uma ponta, o que é que acontece? Vai escorregando… devagarzinho, desmancha, desfaz o abraço.

Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.

E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço.

Ah! Então, é assim o amor, a amizade.

Tudo que é sentimento. Como um pedaço de fita. Enrosca, segura um pouquinho, mas pode se desfazer a qualquer hora, deixando livre as duas bandas do laço. Por isso é que se diz: laço afetivo, laço de amizade.

E quando alguém briga, então se diz: romperam-se os laços. E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum pedaço. Então o amor e a amizade são isso…

Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam.

Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço!

Refletindo sobre “O laço e o abraço” de Quintana gostaria de agradecer pelos LAÇOS e acolhimentos que deram sentido a vida de muitas pessoas com as quais convivemos este ano como uma grande família fraternal, como nos reconhecemos amorosamente como membros desta grande Família Bazzi.

Sou muito grato! Por estar aprendendo a AMAR sem apego e com leveza.

abraco

Relacionamentos!

Família, parentes, amigos, alunos, pacientes, clientes e tantas outra formas de estabelecer vínculos. Tantas maneiras de exercitar o autoconhecimento, sim porque refletimos e espelhamos na relação com o outro a nossa possibilidade de aprender e evoluir como ser humano.

Virtualmente, nos grupos de WhatsApp do Instituto Bazzi, como também presencialmente, nos cursos, atendimentos e palestras, surgiram possibilidades inusitadas e interessantes.

Gratidão a todos que participaram!

Alunos que aprenderam, pacientes que foram tratados, companheiros (pacientes terminais que atendemos) que fizeram sua passagem de forma digna e serena. Para citar alguns nomes que representam a todos que gostaria de nomear e agradecer pessoalmente: Gratidão as Karinas, Sonias, Camilas, Andres, Paulos e tantos outros que chegaram como verdadeiros presentes, estabelecemos laços, alguns se soltaram, outros continuam. Aprendemos assim a nos respeitarmos e a respeitarmos ao próximo:

“O Amor do Desapégo”

 Vai escorregando… de vagarzinho, desmancha, desfaz o laço e o abraço.

Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.

E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço.

Ah! Então, é assim o amor, a amizade.

Então o amor e a amizade são isso…

Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam.

Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço!

Mario Quintana

Belo aprendizado para a vida: preferir e cultivar relacionamentos de laços ao invés de nós.

Principalmente, para minha experiência pessoal, sou muito grato, porque conheci o Amor da Minha Vida, identifiquei minha Alma Gêmea.

Um PRESENTE da vida enfeitado com LAÇO! Camila meu amor de alma!

Aprendi uma forma de relacionamento onde se desfruta e se vive o momento presente, sem idealizar e desejar a posse e as expectativas do futuro.

SOU FEITA DE RETALHOS. PEDACINHOS…

Cora Colarina

Sou feito de retalhos. Pedacinhos coloridos de cada vida que passa pela minha e que vou costurando na alma. Nem sempre bonitos, nem sempre felizes, mas me acrescentam e me fazem ser quem eu sou.

Em cada encontro, em cada contato, vou ficando maior… Em cada retalho, uma vida, uma lição, um carinho, uma saudade… que me tornam mais pessoa, mais humano, mais completo.

E penso que é assim mesmo que a vida se faz: de pedaços de outras gentes que vão se tornando parte da gente também. E a melhor parte é que nunca estaremos prontos, finalizados… haverá sempre um retalho novo para adicionar à alma.

Portanto, obrigado a cada um de vocês, que fazem parte da minha vida e que me permitem engrandecer minha história com os retalhos deixados em mim. Que eu também possa deixar pedacinhos de mim pelos caminhos e que eles possam ser parte das suas histórias.

E que assim, de retalho em retalho, possamos nos tornar, um dia, um imenso bordado.                      

Aprendi muito com minha atuação na Tanatologia, acompanhando pacientes terminais, ajudando o doente e a família a fazer a passagem de forma digna e com qualidade de vida. Uma paciente, dias antes de fazer sua passagem, deu a melhor definição de FELICIDADE: Felicidade é uma colcha de retalhos. Cada retalho, com sua cor mais ou menos alegre é costurado dia a dia, minuto a minuto.

Veja a colcha inteira de uma pessoa e perceba as escolhas das cores que ela fez para sua vida.

alma

Gostaria também, de agradecer a todos aqueles que de forma discreta, no anonimato, atuando com grandes ou, não menos importantes, pequenas participações.

Escolhi um texto e dois vídeos que descrevem muito bem esta grande e silenciosa mobilização para preservar o nosso planeta e o futuro da nossa civilização: as crianças.

UMA INVASÃO SILENCIOSA.

[Autor desconhecido]

“Na superfície da Terra, exatamente agora, há guerras e violência e tudo parece negro. Mas, simultaneamente,  algo silencioso, calmo e oculto está acontecendo e certas pessoas estão sendo chamadas por uma Luz mais elevada. Uma revolução silenciosa está se instalando de dentro para fora. De baixo para cima. É uma operação global. Uma conspiração espiritual. Há células dessa operação em cada nação do planeta. Vocês não vão nos assistir na TV. Nem ler sobre nós nos jornais. Nem ouvir nossas palavras nos rádios.  Não buscamos a glória. Não usamos uniformes. Nós chegamos em diversas formas e tamanhos diferentes. Temos costumes e cores diferentes.  A maioria trabalha anonimamente. Silenciosamente trabalhamos fora de cena, em cada cultura do mundo. Nas grandes e pequenas cidades, em suas montanhas e vales. Nas fazendas, vilas, tribos e ilhas remotas. Você talvez cruze conosco nas ruas. E nem perceba… Seguimos disfarçados. Ficamos atrás da cena. E não nos importamos com quem ganha os louros do resultado, e sim, que se realize o trabalho. De vez em quando nos encontramos pelas ruas. Trocamos olhares de reconhecimento e seguimos nosso caminho. Durante o dia muitos se disfarçam em seus empregos normais. Mas a noite, por trás de nossas aparências, o verdadeiro trabalho se inicia. Alguns nos chamam de “O Exército da Consciência”. Lentamente estamos construindo um novo mundo, com o poder de nossos corações e mentes.  Seguimos com alegria e paixão.  Nossas ordens nos chegam da Inteligência Espiritual e Central.  Estamos jogando bombas suaves de amor sem que ninguém note: poemas, abraços, músicas, fotos, filmes, palavras carinhosas,  meditações e preces , danças, ativismo social, sites , blogs, atos de bondades…. Expressamo-nos de uma forma única e pessoal,  com nossos talentos e dons. Sendo a mudança que queremos ver no mundo. Essa é a força que move nossos corações.  Sabemos que essa é a única forma de conseguir realizar a transformação.  Sabemos que no silêncio e humildade temos o poder de todos os oceanos juntos. Nosso trabalho é lento e meticuloso.  Como na formação das montanhas.  O amor será a religião do século XXI.  Sem pré-requisitos de grau de educação.  Sem requisitar um conhecimento excepcional para a sua compreensão.  Porque nasce da inteligência do coração, escondida pela eternidade no pulso evolucionário de todo ser humano. Seja a mudança que quer ver acontecer no mundo. Ninguém pode fazer esse trabalho por você. Nós estamos recrutando. Talvez você se junte a nós ou talvez já tenha se unido. Todos são bem-vindos. A porta está aberta.

Na mensagem do ano passado (que citei o link acima, no início desta mensagem), comentei sobre o nosso trabalho de guardiões do amor e da paz, representantes de verdadeiras Células da Resistência do Bem, dentro deste contexto de atuação da FAMÍLIA BAZZI no Instituto Bazzi. Podemos conquistar tudo isso a partir do autoconhecimento, um recurso simples, mas muito eficiente.

Reverencio e agradeço as mulheres deste planeta que na sua prerrogativa do potencial de dar a Luz e a Vida, da maternagem são guardiãs do Sagrado Feminino previnem e cuidam do nosso planeta tão mal-tratado. Este ano foi marcante neste aspecto e tivemos a oportunidade de vibrar nesta frequência e vibração afinados com a sintonia deste movimento do amor. Possibilitando uma ambiente melhor para as crianças, responsáveis pelo futuro do nosso planeta sejam mais despertas para esta realidade.

Sementes cósmicas

Crianças índigo, cristais, sementes cósmicas! seja lá qual for o nome, São todos muito-bem vindos!

Precisamos cuidar e educar estes que são o futuro da preservação da nossa espécie e planeta.

Para finalizar… Este texto faz parte do meu momento de reflexão . Busco nesta retrospectiva do meu diário de bordo do ano de 2016 uma grande inspiração significativa para preparar e semear em solo fértil da Mãe Terra novas ideias de esperança coerentes com a minha Missão de Vida e o Legado que quero deixar. A fim de construir e continuar a escrever a grande a história da minha vida.

Gostaria que esta minha reflexão pudesse despertar em você o desejo de parar, pensar sobre a sua Missão de Vida e inspirá-lo a olhar para o novo, o diferente, a ter um plano de vida mais alinhado com seus sonhos e desejos.

gaia

Acredito que todas estas mensagens de BOAS FESTAS que estamos recebendo e transmitindo fazem parte de uma tradição, são muito positivas e bem vindas, mas gostaria de expressar minha opinião pessoal a este respeito.

Por que fazer isso somente uma vez ao ano?

Parece ser mais cômodo, mais impactante e mais pomposo fazer desta forma, mas na minha opinião, ao invés de usar desta maneira e nesta medida, a utilização HOMEOPÁTICA, diária e espontânea, mesmo que seja em doses menores e menos impactantes, seriam mais efetivas, valorosas e mais realísticas.

Acredito que mesmo adultos, ainda vivemos um mundo de “faz de contas” e acreditamos no Papai Noel. Vivemos de aparências, no propósito de consumismo que os sistema nos impele a comprarmos, presentearmos e, privilegiamos o TER em contraposição ao SER.

Faça uma reflexão de tudo o que você escreveu, falou desejou ao longo destes últimos anos, neste período de BOAS FESTAS e, com sinceridade, verifique o quanto você realizou, cumpriu ou se enganou de TER FELICIDADE.

Não seria melhor investir em SER FELIZ?

Convido você a experimentar um jeito diferente. Saia do condicionamento, da mesmice e da “escravidão” que o sistema nos condiciona e experimente dividir ao longo dos 365 dias do ano, pequenas ações idealizadas e concretizadas no momento presente.

Experimente!

  1. Faça primeiro por e para você.

    • Não espere que fazendo pelos outros (o que aparentemente, parece ser mais fácil, mas não é!) seja o correto.

    • Esta é uma grande distorção cognitiva. Por nos sentirmos incapazes, as vezes inconscientemente, fazer por nós mesmos, achando que é difícil ou até impossível e nos iludimos.

    • Nos enganamos querendo fazer pelos outros, achando que é mais fácil e fazemos o nosso papel de “bonzinhos” na sociedade.

    • Assim espero que o outro faça por mim, aquilo que eu mesmo deveria fazer e, somente eu posso fazer por mim mesmo.

    • Esta é uma dura realidade, mas quando você se dá conta disso, identifica e reconhece, só assim pode mudar.

    • Vamos chamar isso de desenvolvimento do AMOR PRÓPRIO

  2. Agora sim, Faça pelos outros.

    • Coerente e alinhado com o AMOR PRÓPRIO, agora você pode fazer mais pelo outro e, paradoxalmente, fazendo pelo outro, quer dizer, ajudar o outro a ele  fazer por ele mesmo, esta contabilidade energética reverte para sua conta corrente de amorosidade.

  3. Participe de projetos, ações e movimentos coletivos

    • é mais fácil

    • mais divertido

    • mais eficiente

    • vale a pena! Juntos fazemos mais que sozinhos. Somo seres relacionais e vivemos uma experiência evolutiva e aprendemos nas nossas relações e LAÇOS que estabelecemos (não NÓS, onde nos enrolamos nas relações)

Assim me sinto mais a vontade de desejar um FELIZ 2017 para você!

a6dd47b3a61fc6334fed5f36db7c80a6

Experimente algo novo e diferente. Digo isso com propriedade, tenho feito isto em minha vida e tem dado muito certo. Tenho aprendido a desenvolver o meu amor próprio e quem tem participado dos projetos e movimentos coletivos também fazem parte de uma estatística que parece ser um caminho que pode dar certo.

Venha fazer parte deste exército de plantadores do bem, escolha as suas sementes e cultive a amorosidade…

 

Veja mais vídeos aqui e aqui.

Neurocientista, pesquisador e estudioso do Comportamento Humano.
Especialista em Medicina Comportamental pela Escola Paulista de Medicina (EPM)/Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
  • Kelly Zeferino

    Muito bom!

  • Factory Tattoo

    Excelente!